Considerado por muitos fãs como a masterpiece do Dream Theater, “Metropolis” é o único álbum conceitual da banda que segue uma linearidade. Não irei me prender muito no background da própria banda, pois o mesmo será abordado no lado B do Progcast sobre Dream Theater, que irá ao ar no dia 18/06. Sendo assim, vamos direto para a história.

Apesar de contar uma história fechada, as letras foram compostas por mais de um integrante, o que não atrapalha de nenhuma forma como ela é contada. O conceito da trama gira em torno de Nicholas, um sujeito que tem a impressão de acordar para outra vida toda vez que fecha os olhos (peraí, não vimos algo parecido em um filme com bichos azuis gigantes?), indo de temas como loucura, e assassinato em uma história de amor, com um plot bem legal no final.

Os personagens que aparecem no decorrer da história são:

  • Nicholas: O personagem principal da história, que se torna obcecado pelos seus sonhos/sua memória.
  • The Hypnotherapist: O médico que auxilia Nicholas em suas sessões de regressão.
  • The Old Man:
  • Victoria Page: A garota que aparece nos “sonhos” de Nicholas. É chamada na história pela alcunha de “Metropolis/Love”
  • Sen. Edward Baynes: Irmão de Julian, chamado de “The Miracle”
  • Julian Baynes: Namorado de Victoria, considerado como “The Sleeper

Ato 1

01) Scene One: Regression

A história começa com Nicholas se submetendo a uma sessão de terapia e hipnose. Em seu transe, Nicholas encontra a garota chamada Victoria.

02) Scene Two Part I: Overture 1928

Completamente hipnotizado, Nicholas começa a focar no principal objetivo de sua regressão: tentar saber mais sobre a vida de Victoria, que se assemelha assustadoramente com a dele. Essa é a idéia principal, visto que é uma passagem instrumental.

03) Scene Two Part II: Strange Déjà-Vu

Nesse ponto, Nicholas explica o motive de ter procurado essa terapia: Toda vez que ele fecha os olhos, é como se fosse transportado para uma outra realidade ou vendo os sonhos de outra pessoa, inacreditavelmente reais, mas que ele não consegue entender por completo. Nesse sonho, pode ser visto: primeiro um caminho que chega até uma casa. No andar de cima desta casa, há um quarto com uma garota dentro, que ele consegue ver no espelho. No estado de transe, Nicholas consegue ver e ouvir claramente todos os detalhes, sendo assim, ele questiona Victoria sobre o que há de errado e qual o motivo de ela estar tão presente assim na vida dele. Ela revela então, que está tentando arrumar uma forma de contar para ele a história por trás de seu assassinato, a sua traição e, de alguma forma, qual a relação que eles têm. Nicholas então acorda e de volta para a sua vida real, continua pensando na história de Victoria, encontrando relações inclusive com a sua realidade. Nesse ponto, começa a sua obsessão doentia, que aumentará no decorrer do álbum, já que, por alguma razão, ele concluí que a história de Victoria é a sua própria história, ou de sua alma, e só conseguirá descansar em paz quando o mistério do assassinato estiver resolvido.

04) Scene Three Part I: Through My Words

Esse é o momento em que Nicholas realmente percebe que Victoria é uma vida passada sua, e talvez por isso eles compartilhem da mesma dor.

05) Scene Three Part II: Fatal Tragedy

A nova obsessão dele é descobrir o motivo de Victoria estar tão triste (ou pelo menos, o fragmento da alma que eles estão conectados). Dessa forma, acaba conhecendo um homem retratado apenas como “The Old Man”, e nenhuma informação adicional é fornecida sobre ele, além de que sabe um pouco sobre um certo assassinato que ocorreu na época de Victoria. Depois de ouvir a história do velho, ele descobre que a garota assassinada era a própria Victoria, o que aumenta ainda mais a sua vontade de resolver o mistério. Então ele volta para mais uma terapia de psicanálise…

06) Scene Four: Beyond This Life

Nessa hora, podem ser observados fragmentos de um jornal da época, que nos esclarece alguns pontos sobre o assassinato: uma testemunha anônima ouve um disparo e encontra uma garota baleada e um homem armado próximo a ela. A testemunha alega que logo em seguida, o homem se suicida. O jornal traz ainda que os dois mortos haviam tido um bom relacionamento em outros tempos, mas por causa de um provável vício em bebidas/drogas/jogos, o relacionamento subitamente havia terminado, com conseqüências graves para ambos. Um fator interessante (para eles e para nós), é que puderam ser identificados na cena do crime um canivete, marcas de que houve alguma briga e uma nota de suicídio no bolso do homem que morreu.

E é aí que a história começa a se embaralhar: o canivete não faria sentido, ainda mais se considerarmos que pudesse estar sendo carregado por uma garota; a nota de suicídio dizia apenas que não faria sentido viver sem o seu amor, porém, em nenhum momento se fala sobre matar Victoria.

Nicholas chega a conclusão que a alma da pessoa carrega consigo as lembranças de cada vida, a personalidade e as experiências.

07) Scene Five: Through Her Eyes

Novamente desperto, Nicholas começa a se sentir cada vez mais pesaroso por Victoria, pois entende que o que aconteceu com ela, de alguma forma aconteceu com ele também, e resolve visitar o túmulo da garota. Ao encontrá-lo, Nicholas sente-se como se tivesse sido arrebatado por uma tristeza profunda, pois vê a sua antiga encarnação como uma vítima doce e inocente, de um crime brutal (Ok, deixem-me abrir um parênteses aqui só para exprimir o que eu penso sobre ela: uma puta louca – continuem lendo para entender), e cada vez mais afetado pelo fato de que ela morreu tão jovem, como é dramático ele ter vivido tanto em relação a ela…

A continuação da história, como de praxe, irá ao ar na quarta-feira!

Bons sonhos

Anúncios